terça-feira, 29 de março de 2011

Advogo pelo desenvolvimento, não pela natureza

Diante de tantos discursos inflamados a favor da natureza venho aqui defender o desenvolvimento. Defender o progresso sempre, sustentável ou não.

Vejam que a senhora Razão está tentando manipular as provas porque sabe muito bem que não é ela quem muda as atitudes. Portanto, trazer à baila uma defesa da natureza por ela, a Razão, é uma grande farsa. A Razão não tem autoridade para isso. Perceba, a Razão sabe que fumar faz mal mesmo assim permite a destruição do homem onde mora. Também, ela, alimenta o corpo de modo igualmente destrutivo. Ora se não cuida da sua própria morada como pretende falar do planeta? Ela é a promotora de todas as guerras (porque todas as guerras têm sempre uma Razão). Como pode então falar em preservação da vida?

Também é falsa uma defesa da natureza por sua amiga, a Ciência. A senhora Ciência é ainda mais incoerente. Segundo seus próprios princípios os seres vivos sobrevivem por uma seleção natural. Portanto, se o golfinho morre por causa dos sacos plásticos jogados no oceano, o que eu tenho com isso? Se eles se extinguirem, se extinguiram e pronto: “é a seleção natural”. Ou eles somem ou evoluem segundo defende a própria Ciência. Mas, e o aquecimento global? me perguntam. Tudo bobagem! Todos sabem que a troca de calor no sistema fechado se transporta de um corpo para outro. Portanto, sendo o sol a única fonte geradora de calor não podemos aquecer coisa alguma além do que já temos. É simples, aquece-se aqui e resfria-se ali. Não existe aquecimento global segundo ela mesma, a própria Ciência assim nos diz. Afinal, por que ela testemunha a favor natureza?

Perdão. Permita-me que eu me apresente. Eu sou a Consciência humana. Sou eu quem está no comando do ser humano e não a Ciência ou a Razão, essas líderes fajutas. Eu só faço o que quero fazer. Eu quero mesmo é um jipão movido a diesel. Sim, o diesel polui mais que todos os outros combustíveis, mas e daí? O importante é que seja um carro grande e confortável para dirigir sozinho. Carona? Nem pensar, tá maluco!? Eu quero mobílias de mogno, não me interessa se vem da Amazônia desmatada. Já disse, o aquecimento global é balela. Ah, vocês precisam ver como ficou linda minha estante toda em madeira de lei. Luxuosa, linda, uma obra de arte!

Por isso afirmo: o que está acontecendo aqui é uma manipulação. A Razão e a Ciência estão tentando arrebanhar algumas Consciências incautas que pensam estar fazendo algo de bom, mas nem elas acreditam nisso. Pergunto a vocês falsas Consciências ecológicas. Vocês separam o lixo em suas casas para reciclagem? Vocês jogam o papel do doce no cesto de lixo? Vocês vão à padaria a pé? Vocês dão carona aos seus colegas? Vocês compram refrigerantes em embalagens de vidro ou de metal? Quem de vocês leva uma bolsa de tecido para o mercado? Quantas de vocês compram papel reciclado mesmo sendo mais caro? Então como podem testemunhar a favor da natureza? No fundo vocês são como eu. Querem conforto e bem estar. No fundo somos todas uma mesma Consciência.
Até entre as Consciências dos mais humildes somos assim, egoístas. Jogamos o sofá no córrego e quando vem enchente nos lamentamos, mas por pouco tempo porque logo depois jogamos a geladeira no mesmo córrego. Nenhuma de nós está realmente preocupada com a natureza, apenas fingimos. E a próxima geração? Que se lasquem! O que queremos mesmo é viver o hoje, o agora e é por isso que eu defendo o desenvolvimento.

Sei que o homem é livre para decidir. Ele pode ouvir a Razão, a Ciência ou as Consciências ecológicas, essas traidoras hipócritas, mas no fim tenho a certeza que serei a grande vencedora deste debate. Eu, a genuína Consciência humana porque sempre estive no comando e vou continuar por longos anos. E ainda que seja verdade que o planeta possa ser destruído vocês acham que eu realmente ligo? Olhem ao redor e me digam. Olhem para si e me digam se eu não falo a verdade!

Blogs que eu acompanho