sexta-feira, 17 de junho de 2016

Uma Ferramenta, Muitas Possibilidades – O Podcast

Por: Vinicius Sirvinskas

Você já ouviu falar sobre podcast? Se você convive comigo com certeza ouviu, já que sou fã inveterado dessa ferramenta. Caso você seja antenado em tecnologia também conhece a mídia e provavelmente faz bom proveito dela. Agora, se você não me conhece (acho que a maioria dos que estão lendo… Rs), não gosta de tecnologia e, por isso não conhece podcast, saiba que está perdendo um mundo de possibilidades.
Assim como a TV, o rádio e o jornal, o podcast é uma mídia de transmissão de informações (pela internet e geralmente áudio). Porém, a sua vantagem primordial é o conteúdo sob demanda e a mobilidade. Logo, você pode ouvir podcast quando, onde e sobre o que quiser.

Podemos encontrar podcasts que ensinam uma nova língua, podcasts de humor e entretenimento, podcasts sobre Historia e Ciência, muitos sobre tecnologia e mais uma infinidade de assuntos. Esse post pretende inaugurar a categoria de indicação de podcasts em nosso blog. Como somos um blog que trata de assuntos voltados para o cristianismo a nossa linha de indicação caminhará nesse sentido, o que não quer dizer que não possam surgir indicações de podcasts com conteúdo relevante fora da esfera do cristianismo.
Para começar vou citar alguns dos podcasts cristãos de maior representatividade na podosfera (se acostume com a expressão) brasileira. Em nossos futuros posts vamos começar a indicar episódios específicos e criaremos categorias para separar as indicações por assuntos e interesses.

Não existe outra possibilidade de indicação que se encaixe na primeira opção para podcast cristão no Brasil. O Podcast irmaos.com está chegando à marca de 300 programas publicados, com uma história que se iniciou  em março de 2006, data da publicação de seu primeiro episódio (tenho muito orgulho de ter acompanhado desde o início). Sempre com conteúdo atual e relevante você pode ter acesso a todo o acervo de programas clicando aqui.

Mas o irmaos.com não está só. Uma indicação que não poderia faltar aqui é o Btcast, podcast especializado em teologia. Você encontra todo o conteúdo no link: “Teologia é o nosso esporte”,  essa é a pegada da galera que conduz esse podcast. Se você gostou desse blog, esse podcast é a indicação certa para você. Clique aqui para acessar o conteúdo disponível.

Para terminar, a indicação de um episódio específico. A galera do No Barquinho pode não parecer, mas é crente! Brincadeiras à parte, eles são um podcast cristão mais leve, que não deixa de tratar de todos os assuntos, inclusive os mais densos. Clicando na imagem abaixo você tem acesso ao programa onde eles falam sobre o que é podcast. Se preferir clique aqui para ouvir ou baixar o arquivo do programa.



Fonte: www.mundopodcast.com.br


quinta-feira, 2 de junho de 2016

Maldito Thor!

A frase não é de Lóki, meio irmão do “deus do trovão”. É um protesto contra o colonizador que demoniza as religiões de matriz africana. Tem certeza que vai continuar lendo?

Maldito Thor, de rosto liso e aparência que nos impõe os padrões de “beleza” dos colonizadores. Você nada se parece com o truculento, fedorento, ruivo e barbudo original. Da sua Ponte do Arco-íris você observa e ensina o ódio gratuito àqueles que não têm seu cabelo liso e loiro, sua pele branca nem seus olhos azuis. A mesma cor que subverteu os olhos do Senhor Jesus, estereotipado aos padrões próximos aos seus.

Você com seus sacrifícios humanos agora é herói-salvador, é brinquedo gratuito dos lanches infantis.  Saiba que Yahweh sempre condenou tais sacrifícios, sejam a Moloque dos cananitas, à Shakti dos hindus, a Zeus dos gregos, a Thor dos nórdicos, aos Orixás dos africanos ou aos Xamãs dos indígenas. A todos os deuses romanos, asiáticos ou astecas, em qualquer lugar do planeta ou época da história, o SENHOR reivindica: “agora és mais amaldiçoado que a terra que abriu a boca para tragar, de tuas mãos, o sangue de teu irmão.” (Gn 4.11)

Mas você Thor, com sua capa vermelha, cor da bandeira colonizadora, nos faz engolir sua cultura. Seus meninos e meninas de faces rosadas vestidos de bruxinhas e diabinhos, estão à porta nos subornando: “doces ou travessuras!”. Somos a Casa Grande e a Senzala só é do Diabo porque tem olhos castanhos (quase negros), cabelos crespos e a pele negra como a noite. “É que Narciso acha feio o que não é espelho”. Um espelho refletindo a imagem do deus do Norte, mas não dos nórdicos.

Maldito Thor, que rejeita nossa cultura e nossos ritmos: samba, frevo, maracatu e o forró, antiga festa dos nossos senhores. O jazz, das muitas matrizes negras de Nova Orleans, é lá demonizada. Aqui, são nosso cânticos dos hinos espirituais. O que você fará naquele dia quando o SENHOR lhe perguntar: “Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.” (Gn 4.10) Quando descobrir que Deus também é negro, como todo àquele que sofre? O que fará a Casa Grande quando se descobri a caminhar contigo para o lugar que dizem pertencer a Senzala?

Thor você, é um deus que não nos representa ou defende. Antes, nos ilude, aliena e domina. Que no dia de Ragnarök, cumprindo a profecia, Jörmungandr, a grande serpente, abra a sua boca e te engula com todos os deuses de Asgard.


Fontes:
https://en.wikipedia.org/wiki/Thor
https://www.reddit.com/r/AskHistorians/comments/1rmhhv/did_the_ancient_greeks_ever_practice_human/
http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Roman/Texts/secondary/SMIGRA*/Sacrificium.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Moloch
https://en.wikipedia.org/wiki/Human_sacrifice
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/origens-jazz-800642.shtml
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ragnar%C3%B6k

Blogs que eu acompanho