quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Sobre vida cotidiana: Divagações

Não tenho medo de nada, nem mesmo da morte. A única coisa que realmente me apavora, que me dá calafrios na alma é o medo de não amar meu semelhante como se deve.
(Leonardo Martins)

A amizade e a confiança são irmãs siamesas: inseparáveis.
(Leonardo Martins)

A estrela já nasce brilhando. Quando ela se apaga é porque morreu.
(Leonardo Martins)

A maior prova do amor de Deus é liberdade que dá ao homem.  Este é livre até para dizer não àquele.
(Leonardo Martins)

O texto correto não é: “Maldito o homem que confia no homem”. Mas “Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!” (Jeremias 17,5). Ler direito faz muita diferença.
(Leonardo Martins)

A vida é um sopro. Melhor é fazer boas escolhas em enquanto se pode.
(Leonardo Martins)

O trem só é útil 1) andando; 2) nos trilhos e 3) com condutor. Parado é inútil, sem qualquer um dos dois é um desastre.
(Leonardo Martins)

A única verdade numa expressão com os termos “verdade absoluta” é que ela é absoluta. De verdade mesmo não há mais nada.
(Leonardo Martins)

Qualquer caminho que se diga único, sendo ele conhecido, também será o destino. Se o destino é incerto/desconhecido é porque não existe só um caminho.
(Leonardo Martins)

Uma afirmativa verdadeira fundamentada em argumentos falsos/falhos é frágil. Porque por mais verdadeira que ela seja será facilmente desconstruída pela retórica, pelo sofisma ou qualquer argumento melhor elaborado. Ou seja, afirmativas verdadeiras, não se sustentam com/na verdade (em si mesma), mas em argumentos sólidos e bem elaborados.
(Leonardo Martins)

Quem acredita de verdade que pode mudar o mundo pela educação não deveria fazer uso dela?
(Leonardo Martins)

Não tente me convencer de seus argumento sem antes se convencer da possibilidade de estar errado. Se assim fizermos haverá diálogo. Todavia, se já há certeza absoluta, melhor nem começar a falar.
(Leonardo Martins)

Começo a pensar que qualquer homem que não negocie seus valores está condenado a morrer.
(Leonardo Martins)

Para mim a degradação do ser, enquanto humano, não se revela nas fobias, nos genocídios ou nas perversidades contra crianças. Tão pouco se revela, na sordidez dos acordos que oprimem e matão milhares de pessoas. É algo muito pior. A degradação humana se revela no homem de "bem" cumpridor das suas obrigações e politicamente correto, que só age dessa forma quando/porque está sendo filmado. Que mundo é esse que para uma pessoa ser ética precisa ser vigiada? (Leonardo Martins)

Blogs que eu acompanho