domingo, 24 de abril de 2011

Um modo “elegante” de ser mal educado

Realmente o mundo parece que anda a cada dia com mais pressa. O Tempo ou a falta deste é o tema do momento. No artigo “Remindo o tempo”, o pastor Carlos Elias nos lembra de sua importância. Neste contexto vemos nascer o sujeito “sem tempo” como nos mostra o artigo do pastor Joed Venturini, “O homem mais ocupado de todos os tempos”. Fato é que existem pessoas especialistas em nos roubar o pouco tempo que temos. E, é fácil reconhecê-los. São pessoas que quando nos vêm logo dizem “preciso falar com você”. Pessoas carentes que aproveitam do fato de você saber ouvir e ficam horas ao telefone dizendo absolutamente nada.

No século XXI estes tornam-se ainda mais eficazes. Fazem questão de ser seu amigo numa comunidade virtual e mandam inúmeros e-mails sem perguntar se você tem interesse naquele assunto.

Mas.

O mesmo homem sem tempo deste século desenvolveu uma forma “elegante” de evitar tais pessoas: O SILÊNCIO.

Se é verdade que muitos amigos são apenas virtuais, se muitos e-mails são descartáveis e, se um modo de não constranger essas pessoas é não alimentar essas “correntes” na Internet, também é verdade que muitos tornaram esta prática cada vez mais comum em nossos dias: o hábito de não responder e-mails. Falo dos e-mails sérios dos quais dependem decisões importantes. Quando estes obrigam a que se tome uma postura a desculpa é sempre a mesma: “ah! eu não vi seu e-mail”. Não falo de um esquecimento ou outro, inerentes da pessoa humana, falo de mensagens insistentes pedindo por orientação dada a gravidade do assunto em questão que são simplesmente relegadas ao “esquecimento”. Como é fácil esquivar-se dizendo que não leu, que não viu, que não sabia. Bem aos moldes dos nossos políticos que nunca leem, veem ou sabem de nada. Um modo covarde de se isentar da responsabilidade.

Aprendi recentemente com um pastor a respeito da pontualidade. Segundo ele “quando alguém chega atrasado (sistematicamente, é claro) está dizendo que o seu tempo é mais importante que o meu”. Parafraseando eu diria que quando alguém me manda e-mails, mas não responde os meus (aqueles importantes) está dizendo que seus e-mails são importantes, os meus não.

Segundo um amigo que morou nos EUA, não responder é uma forma elegante de dizer não. Chamo isso de uma forma “elegante” de ser mal educado.

O mundo virtual traz muitas vantagens, entre elas a comodidade de poder receber informações confortavelmente em casa sem precisar ir ao trabalho. Mas parece que para acabar com este tipo de esquiva será preciso voltar ao método antigo e marcar uma entrevista pessoal no escritório, isso se conseguir vencer a secretária, outro obstáculo bem mais antigo.

Termino com um trecho do livro “Essentials Of Management: An International Perspective” dos professores Harold Koontz e Heinz Weihrich, citando as características necessárias a um gestor. Para eles, a terceira característica mais importante são a Integridade e a Honestidade:

Integrity and Honesty: Managers must be morally sound and worthy of trust. Integrity in managers includes honesty in money matters, and in dealing with others, effort to keep superiors informed, adherence to the full truth, strength of character, and behavior in accordance with ethical standards. Many of these qualities, and others, have been cited by top executives of major companies. For example, Henry Ford II, former chairperson of Ford Motor Company, mentioned as appealing, qualities of honesty, candor, and openness”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que eu acompanho